• NOTICIAS

      23/05/2018 | Trente-six chandelles a música no CCLA - Cancelado

      URGENTE!!!

      EM RAZÃO DA GREVE DE CAMINHONEIROS, QUE INTERROMPE RODOVIAS E AFETA OS POSTOS DE COMBUSTÍVEL EM TODA A REGIÃO, FOI NECESSÁRIO ADIAR O RECITAL MARCADO PARA ESTA DATA PARA O DIA 14 DE JUNHO PRÓXIMO.

       

      “Trente-six chandelles”: a música no CCLA

      José Luiz Águedo-Silva, Ana Meirelles, Arthur Raymundo e Érika Andrade

      Dia 14/06, às 20 horas, no auditório do CCLA (rua Bernardino de Campos, 989, Centro, tel. 3231-2567), a ABAL Campinas apresenta o recital “Trente-six chandelles” com os cantores José Luiz Águedo-Silva, barítono e seus convidados especiais, Érika Andrade, soprano; Ana Meirelles, mezzo-soprano; Arthur Raymundo, tenor e, ainda, as participações de Arthur Kauffmann Novas, pianista e Renato Fontebasso, violonista. Acompanhamento ao piano de José Francisco da Costa. O título do recital faz referência aos 36 anos de idade do barítono, comemorados este mês. O violonista Renato Fontebasso e o pianista Arthur Kauffmann Novas acompanham Ana Meirelles em peça específica cantada por ela.

      No repertório do recital serão ouvidas obras de Alberto Costa, Canto da saudade; Bellini, Ah, non credea mirarti, da ópera La Sonnambula; Mozart, O zittre nicht, mein lieber Sohn, da Die Zauberflöte, Glinka, Javaronak; Joaquín Rodrigo, Canción del grumete; Aranjuez; Tosti, Penso; Schubert, Erlkönig, Donizetti, Una furtiva lagrima, de L’Elisir d’Amore; Carlos Gomes, Io ti vidi; Bellini, Malinconia, ninfa gentile; Donizetti, Ecco il pegno che le porsi, da ópera Gemma di Vergy; Delibes, Viens, Mallika... Dome épais le jasmin, da ópera Lakmé; Léhar, Lippen, schweigen, da opereta Die Lustige Witwe; Donizetti, Quanto amore!, de L’Elisir d’Amore, Rossini, Dunque io son, de Il Barbiere di Siviglia e, finalizando, de Mozart, o terceto, Soave sia il vento, da Così Fan Tutte.
       

      Érika Andrade, soprano, é atriz pelo Conservatório Carlos Gomes de Campinas e bacharel em canto lírico pela Universidade Estadual de Campinas. Trabalhou com grandes nomes do cenário musical, como Kathyn Hartgroove (USA), Hanz-Peter Schurz (Alemanha) e Isaac Karabtchevsky. Solista nas óperas: Bastien und Bastienne; Dido e Eneas, Gianni Schicchi, dentre outras. Foi acompanhada por diversas orquestras sinfônicas, dentre as quais, estão: Sinfônica de Campinas, Limeira, Americana e Mogi Guaçu. Em maio de 2011 participou do festival de corais Mundus Cantat, em Sopot – Polônia, com o Coro Academia Concerto. Atuou como cantora do Coro Sinfônico do Conservatório de Tatuí (2012 -2014), onde teve destaque nas Vesperae Solennes di Confessori, de W.A.Mozart com Coro e Orquestra do Conservatório regida por João Maurício Galindo em 2013. No ano seguinte participou do programa Prelúdio da TV Cultura, com o maestro Júlio Medaglia e da ópera Ártemis (Theatro São Pedro-SP) com os maestros Emiliano Patarra e Luiz Fernando Malheiro. Solista da temporada 2015 do Theatro São Pedro (SP). Premiada no VIII Concurso Estímulo para Cantores Líricos Carlos Gomes, recebeu em julho de 2016 a honraria “Medalha do Mérito Cultural Carlos Gomes”, pela Câmara Municipal de Campinas por sua atividade artística na cidade preservando a obra do maestro em sua terra natal. No mesmo ano, solou em concertos “Ópera Gala” e no “Grande Concerto de Abertura do Mês de Carlos Gomes” com a Orquestra Sinfônica de Campinas com o maestro Victor Hugo Toro. Em 2018, foi premiada no I Concurso de Canto de Vinhedo.
       

      A mezzo-soprano Ana Meirelles, nasceu em S. Paulo, e de 2013 a 2017 cursou o Bacharelado em Canto Erudito na UNICAMP, onde estudou sob orientação de Ângelo Fernandes. Participou de montagens universitárias das óperas: “As Bodas de Fígaro” (Cherubino), “A Flauta Mágica” (2ª e 3ª criança), “Don Giovanni” (coro) de Mozart, “Dido e Aeneas” (segunda bruxa) de Purcell. Cantou no Coro Contemporâneo de Campinas, regido por Angelo Fernandes, como contralto. Cantou os solos do Oratório de Natal de J. S. Bach, do Requiem de W. A. Mozart, da Fantasia Choral de L. Beethoven, do oratório Beata Mater de Lobo de Mesquita, do Te Deum de Charpentier. Participou dos elencos do 3º Festival de Música Erudita do Espirito Santo e da 35ª Oficina de Música de Curitiba, ambas no núcleo de estudos voltados para ópera. Foi semifinalista do Concurso Maria Callas de 2018.
       

      O tenor Arthur Raymundo foi bolsista por dois anos consecutivos no Dartington International Summer School, Inglaterra (2011, 2012), e participou do programa Opera on the Avalon em 2013, no Canadá, cantando nas óperas La Traviata (Verdi) e A Flauta Mágica (Mozart). Em 2014 e 2015 foi aluno das Oficinas de Ópera (Gabriel Rhein-Schirato) e Música Antiga (Nicolau de Figueiredo) da Escola Municipal de Música de São Paulo. Arthur também tem sido contratado, desde 2014, em diversas Academias Corais Internacionais na Alemanha e Chile. Como solista cantou à frente da Orquestra Sinfônica da UNICAMP, Newfoundland Symphony Orchestra, Camerata Filarmônica de Indaiatuba, Corporação Musical Villa-Lobos de Indaiatuba, e outros. Em sua carreira destacam-se: Oratório de Natal de J. S. Bach na Alemanha, regido por Helmuth Rilling; Integrante do JSB Ensemble Stuttgart (Alemanha); papel solista na ópera L’incoronazione di Poppea (Monteverdi), em Belo Horizonte; recital na Temporada de Música de Câmara no Theatro São Pedro (São Paulo); concertos com o Ensemble Charpentier em diversas salas de concerto em São Paulo – dirigido por Nicolau de Figueiredo, Carmina Burana com a Chorakademie Lübeck e a estreia mundial da obra “Luta e Vida”, de Ricardo Calderoni com a OSUSP, sendo os dois últimos na Sala São Paulo. Atualmente possui a orientação vocal de Eduardo Janho-Abumrad.


      José Luiz Águedo-Silva, barítono, nasceu em Santos e é formado em Letras pela UNICAMP e Mestre em Teoria e História Literária pela mesma Universidade. Estudou Canto com o tenor André Minutti entre 1999 e 2014. De 2002 a 2010 preparou repertório com a pianista, maestrina e mezzo-soprano Vânia Pajares, na matéria Ópera Estúdio (Instituto de Artes da UNICAMP). Participou de edições dos concursos Maria Callas, na Categoria Ópera, e Carlos Gomes, bem como de masterclasses com Kohdo Tanaka, Regina Elena Mesquita, Inácio de Nonno e Marília Vargas. Apresentou-se em diversos recitais e eventos em Campinas e região e, nos últimos anos, tem igualmente se dedicado à composição. Estuda Harmonia com Lucielena Terribile. Dentre outros espetáculos, fez parte das cortinas líricas das óperas gomesianas Il Guarany (em 2010 – D. Antonio de Mariz) e A Noite do Castello (em 2011 – Raymundo), e, em 2012, da ópera Il Matrimonio Segreto, de Domenico Cimarosa, no papel de Geronimo. Em 2017, iniciou seu aperfeiçoamento em Canto com o Maestro Marconi Araújo.
       

      Entrada franca.



  • VIP IN TOUCH

  • CONTACT

  • Revista Vip Virtual

  •