• COBERTURAS


      12/12/2012 | ACIC divulga balanço na RMC
      Local: ACIC
      Cidade: Campinas
      Cobertura por: Augusto Barretto

      Feriados acumulados impactam vendas menores em novembro/2012
           
                 
            CAMPINAS:

      Apesar dos dados do SCPC - Serviço Central de Proteção ao Crédito  - de novembro de 2012 indicarem um aumento de 2,79% sobre outubro e de 1,48% sobre novembro do ano passado, as vendas em Campinas ficaram abaixo da expectativa, considerando que o mês sempre apresentou uma série histórica altamente positiva. O número de dias úteis menores foi o fator determinante para a redução nas vendas desse mês, que apresentou três feriados interligados com pontes de compensação.

      No acumulado de janeiro a novembro de 2012 a expansão ficou em 3,30%. O faturamento de novembro de 2012 chegou a R$ 901,2 milhões e, no acumulado, ficou em R$ 8,4 bilhões, o que representa um crescimento de 4,71% sobre 2011.

      A inadimplência acusou, no acumulado do ano de 2012, 161.393 carnês vencidos a mais de 30 dias e não pagos contra os 155.967 de 2011, indicando uma taxa de inadimplência de 3,48%, a menor do ano até aqui, onde para cada 100 vendas a prazo, 3,5 não são pagas.  O total da inadimplência atinge, atualmente, cerca de R$ 209,8 milhões que deixam de circular no comércio de Campinas.

      A perspectiva para o final do ano é de vendas acima de dois dígitos (11%) por força do Natal e pela injeção do 13º salário prevista em mais de R$ 820 milhões para Campinas. Deve-se considerar que 50% desse montante já devem ter sido liberados no final de novembro e, o restante, até o dia 20 de dezembro.

      RMC:
      As vendas de novembro de 2012 na RMC também demonstraram esse impacto dos feriados acumulados no mês e tiveram crescimentos reduzidos. A expansão foi de 1,95% sobre outubro passado e de 1,38% sobre novembro de 2011.

      No acumulado do ano (janeiro a novembro/2012) a expansão chegou a 3,29%.
      O faturamento de novembro de 2012 na RMC atingiu R$ 2.020,6 bilhões e, no acumulado (janeiro a novembro), ficou cerca de R$ 19.169,0 bi, 4,37% acima do mesmo período de 2011.

      A inadimplência caiu para o nível 4,84%, apresentando 398.501 carnês vencidos a mais de 30 dias e não pagos neste ano, contra os 380.103 do ano passado.  Esse índice significa que, para cada 100 vendas a prazo cerca de cinco não são pagas na RMC.

      O total da inadimplência atinge, atualmente, cerca de R$ 518 milhões que deixam de circular no comércio regional. A perspectiva para o final do ano é de uma expansão de vendas acima de dois dígitos, podendo chegar aos 11% em relação ao Natal do ano passado, impulsionadas pela injeção de cerca de R$ 1,9 bilhões do 13º salário na economia regional. Também deve-se considerar que 50% desse montante já devem ter sido liberados no final de novembro e, o restante, até o dia 20 de dezembro.

      A devolução de cheques sem fundos no período de janeiro a outubro de 2012 mostra que, na RMC, em quantidades nominais, houve uma redução de (-3,36%). No entanto, no índice relacionado ao total de cheques sem fundos sobre o total de cheques compensados (falta de fundos/compensados), houve uma elevação de 0,15 pontos percentuais, passando de 1,69 (2011) para 1,84 (2012).

      Isso significa que, para cada 100 cheques emitidos 1,84 cheques são devolvidos por falta de fundos.

      Taxa de juros em queda em Campinas e região, mas os spreads continuam altos, fazendo com que os juros na ponta se distanciem da taxa básica determinada pelo Bacen que, com a meta de reduzir a inflação, está levando as taxas de juros real a nível de 2%, compatível com os juros internacionais.


      Laerte Martins

      Economista – ACIC




  • VIP IN TOUCH

  • CONTACT

  • Revista Vip Virtual

  •